Núcleo de Oftalmologia de Copacabana

Lentes de contato podem ser bastante úteis e práticas para quem convive com erros de refração e não gosta ou não se adaptou aos óculos. No entanto, não basta “comprar e usar”. Existe todo um processo de adaptação que deve ser realizado junto ao médico oftalmologista, envolvendo a realização de exames, que indicarão o grau e a curvatura da lente, a prescrição do melhor tipo e as orientações em relação ao uso.

O uso de lentes de contato requer cuidados especiais, já que elas são colocadas em contato direto com a córnea. Não devemos emprestar ou pegar emprestado de outra pessoa. A lente é de uso individual. Cada um tem seus parâmetros e medidas.

As lentes podem ser:

Gelatinosas
Que podem ser descartáveis, trocadas diariamente, quinzenalmente ou mensalmente. Ou anuais, trocadas a cada 6 ou 12 meses. Essas, ainda, podem ser filtrantes, coloridas, terapêuticas, multifocais ou indicadas para pacientes com daltonismo.

Rígidas
Que são indicadas para pacientes com irregularidades na córnea, ceratocone, ectásias corneanas, alta miopia e síndrome do olho seco. Elas também podem ser esclerais, com maior capacidade de retenção da lágrima.

Liberdade e conforto estão entre os principais diferenciais proporcionados a quem opta por usar lentes de contato. Mas lembre-se: acompanhamento médico e exames complementares são fundamentais! O uso de lentes de contato requer cuidados especiais, já que elas são colocadas em contato direto com a córnea. Não devemos emprestar ou pegar emprestado de outra pessoa. A lente é de uso individual. Cada um tem seus parâmetros e medidas.